Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Dia do Programador: Tecnologia da Informação é o setor que mais emprega na pandemia

Tempo de leitura: 2 minutos

Segundo o Linkedin, mais de 600 vagas foram abertas entre os meses de Junho e Julho, faltam profissionais qualificados com fluência em inglês 

Alan de Paula Barros, 27, trabalha em um empresa multicultural com um braço na Índia, e evidencia que aprender inglês é fundamental (Foto: Arquivo Pessoal)

O 256º dia do ano é a data oficial do dia do programador, sendo mais comemorada em 12 de setembro. A data é até feriado nacional na Rússia, desde 2009. O número 256 é bem conhecido entre os programadores, e faz menção a quantidade de valores diferentes que podem ser representados com um byte de 8 bits, algo que não é muito conhecido para leigos. 

Antes da crise gerada pelo COVID-19, o mercado mostrava uma escassez de profissionais qualificados no Brasil para ocupar vagas em TI. Até 2024, a projeção era de 70 mil novos postos de trabalho por ano, um crescimento de 10%, segundo a Brasscom, associação de empresas do setor. 

Agora, com o isolamento social, e no final do mês passado, com a aprovação da LGPD (Lei de Proteção de Dados), as empresas buscam cada vez mais profissionais nesta área, segundo o LinkedIn, a busca por engenheiros ou engenheiras de software foi a que mais cresceu entre os meses de Junho e Julho analisados, com 627 vagas abertas.

Na empresa de tecnologia em que Bruna Xavier Andrade e Silva, 33 anos, trabalha como desenvolvedora de softwares existem muitas vagas em aberto e todas elas exigem o inglês, a empresa possui um teste de proficiência. Para cargos mais altos exigem mais fluência no idioma. “Por causa da situação atual do Brasil, diversas empresas tiveram que ampliar o seu leque tecnológico, além de novidades como a LGPD e o PIX que estão chegando aqui. A nossa área recebe muitas demandas internacionais, por isso a importância do inglês”” explica a estudante da Minds Idiomas, unidade Berrini, SP.

No caso da empresa da estudante Bruna, da unidade Minds Idiomas Berrini, há testes de proficiência para galgar oportunidades melhores de cargo. Em números, quem fala inglês pode ter um aumento no contracheque de 52%, segundo a Catho. 

Para Leiza Oliveira, CEO da Minds English School:  “Temos muitos alunos da área de tecnologia, hoje é essencial que a pessoa tenha uma proficiência 360° e imersiva na língua, e esta é a nossa proposta para estes alunos. Aulas híbridas e adaptadas às rotinas desses profissionais”, explica a Diretora da rede.

O programador, Alan de Paula Barros, 27, trabalha em um empresa multicultural com um braço na Índia. “A maioria das empresas de tecnologias possuem times de desenvolvimento ou parceiros fora do Brasil, vi ainda mais a necessidade de aprimorar meu inglês não só para conseguir realizar bem o meu trabalho, mais também para tirar os certificados e crescer na área”, explica o estudante de inglês, da Minds Idiomas, Alan.

Tanto Bruna quanto Alan, enfatizaram que recebem vagas diariamentes e que todas exigem um certo nível de inglês, ambos acreditam ser primordial para a área e para se conseguir uma boa oportunidade profissional. “O mercado está aquecido, há uma alta procura por profissionais, o que falta é justamente o inglês!”, finaliza Alan que estuda inglês desde 2019 com a rede Minds.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Feito por Nerau Studio